Maior Festival de Ciência do mundo chega a Bento Gonçalves

Pint of Science será realizado nos dias 20, 21 e 22 de maio em bares da cidade!

Em 2019, Bento Gonçalves (RS) estreia no maior Festival mundial de divulgação científica, o Pint of Science. Nas noites dos dias 20, 21 e 22 de maio, assim como em outros 24 países, a noite será dedicada para falar de ciência, de uma forma descomplicada nos ambientes descontraídos de bares. O evento é promovido pela Embrapa Uva e Vinho e pelo Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS).

E como não podia ser diferente, a programação na Capital Nacional do Vinho orbita em torno do inebriante mundo do vinho. No dia 20 de maio, o Boteco Sports (Rua Silva Paes, 60 – Cidade Alta) receberá o tema “Uvas e vinhos: frutos da natureza e tecnologia”, em uma noite dedicada a compreender o vinho como um dos mais nobres produtos do processo de fotossíntese. Para isso, enquanto o professor do Instituto Federal, Rodrigo Otávio Câmara Monteiro, fala sobre “A precisão que vem do céu”, abordando a viticultura de precisão, o pesquisador Henrique Pessoa dos Santos (Embrapa Uva e Vinho) e o professor Leonardo Cury (IFRS) apresentam “A vida e o vinho a partir do sol!”.

“Entre leveduras e formigas: segredos da ciência” será o tema da terça-feira, dia 21, no Botequim São Bento (Rua Henry Hugo Dreher, 273 – Planalto). Nesta noite a professora Aline Nondillo (IFRS) irá revelar alguns detalhes interessantes sobre “A vida secreta da formigas”, e a cientista Bruna Carla Agustini (Embrapa Uva e Vinho) falará sobre ”As pequenas notáveis: um brinde às leveduras”.

“O sabor do vinho brasileiro” foi o tema escolhido para o encerramento da edição de 2019, no dia 22 de maio, no MR Red (R. Herny Hugo Dreher, 330-370 – Planalto). Os pesquisadores Mauro Zanus e Jorge Tonietto, da Embrapa Uva e Vinho, falarão sobre “Carvalho: aromas e sabores do vinho” e “O gosto do terroir”, respectivamente. Neste dia a programação é reservada para pessoas acima dos 18 anos, pois haverá degustação de bebidas.

Além das apresentações, durante os encontros, o público participante também poderá fazer perguntas e conversar com os pesquisadores sobre o tema da noite e outras dúvidas que surgirem. “A ideia de trazer o Festival para Bento foi abrir esse novo canal direto entre os cientistas e o público geral e apresentar assuntos interessantes de uma forma leve”, destaca Marcos Botton, chefe adjunto de Transferência e Tecnologia da Embrapa Uva e Vinho e coordenador do evento em Bento Gonçalves. “Vamos provar que na taça do vinho também tem muita ciência”, brinca ele ao fazer uma alusão ao nome do Festival, pois o Pint (pronuncia-se paint) nada mais é do que um tradicional copo de cerveja muito comum em países Europeus e nos Estados Unidos.

A edição de 2019 do Pint of Science Bento Gonçalves tem o patrocínio da Vinícola Salton e da Basf. Também conta com o apoio da Afavin, Aprovale, Aprobelo, Apromontes, Asprovinho, Fenavinho, Ibravin, Prefeitura Municipal de Bento Gonçalves, Sicredi Serrana, MR Red, Boteco Sports e Botequim São Bento.

Como participar:
O Pint of Science é um evento informal, sem inscrição prévia, sem o pagamento de nenhuma taxa e com vagas limitadas. O único custo é a consumação individual. Todos os bate-papos começam às 19h30, mas se recomenda chegar mais cedo, já que não há reserva de lugar.

A programação completa pode ser conferida em: http://pintofscience.com.br/events/bentogoncalves

Serviço

Pint of Science Bento 2019
Horário: a partir das 19h

20 de maio de 2019 – “Uvas e vinhos: frutos da natureza e tecnologia”
– “A vida e o vinho a partir do sol!”, com Henrique Pessoa dos Santos(Embrapa Uva e Vinho) e Leonardo Cury (IFRS)
– “A precisão que vem do céu: uma nova Viticultura”, com Rodrigo Monteiro (IFRS)
Local: Boteco Sports

21 de maio – “Entre leveduras e formigas: segredos da ciência”
– “A vida secreta das formigas”, com Aline Nondillo (IFRS)
– “Pequenas notáveis: uma brinde às leveduras”, com Bruna Carla Agustini (Embrapa Uva e Vinho)
Local: Botequim São Bento

22 de maio de 2019 – “O sabor do vinho brasileiro”
– “Carvalho: sabores e aromas do vinho”, com Mauro Celso Zanus (Embrapa Uva e Vinho)
– “O gosto do Terroir”, com Jorge Tonietto (Embrapa Uva e Vinho)
Local: MR Red

Fonte: Viviane Zanella / Embrapa Uva e Vinho

Anúncios

Inicia medição vitícola no Vale dos Vinhedos

Até agosto todos os vinhedos do roteiro deverão ter sido georreferenciados. Trabalho permitirá chegar à radiografia vitícola do Vale qualificando o cadastro

Identificar a localização e fazer a medição correta dos vinhedos da área demarcada do Vale dos Vinhedos. É com este objetivo que a Embrapa Uva e Vinho, com o apoio do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), iniciou hoje o georreferenciamento no roteiro. Depois de Monte Belo do Sul e Farroupilha, o Vale dos Vinhedos é a terceira região a ser beneficiada com o trabalho que resultará na radiografia precisa da área.

O primeiro vinhedo georreferenciado foi o do produtor Remy Valduga, mas a medição contemplará todos os vinhedos que estão localizados na área demarcada de Indicação Geográfica Vale dos Vinhedos, devendo se estender até agosto, dependendo das condições climáticas. O Vale é a terceira região a ser beneficiada, após Monte Belo do Sul e Farroupilha que já estão com a totalidade de suas áreas referenciadas.

O georreferenciamento propiciará a formação de um banco de informações completo, instrumento importantíssimo no gerenciamento da Denominação de Origem do Vale dos Vinhedos e na elaboração de projetos para o desenvolvimento sustentável da região, englobando as áreas dos três municípios que a compõem ? Bento Gonçalves, Monte Belo do Sul e Garibaldi.

Coordenado pela pesquisadora da Embrapa Uva e Vinho, Loiva Maria Ribeiro de Mello, o trabalho conta com o envolvimento dos engenheiros agrônomos Luiz Carlos Guzzo e Rudimar Zanesco. ?O cadastro, além de ser mais preciso, pode também ser utilizado em diversos estudos envolvendo relevos, clima e solo, entre outros aspectos, e ainda servir de base para projetos?, destaca Loiva. A medição está sendo feita com o uso de aparelhos de Sistema de Posicionamento Global (GPS) para definir os pontos que possibilitam a reprodução da área e a localização exata de cada cultivo.

A Associação dos Produtores de Vinhos Finos do Vale dos Vinhedos (Aprovale) está incentivando seus associados para facilitar o trabalho dos técnicos, acompanhando na medição e fornecendo informações úteis como variedade, porta-enxerto, idade dos vinhedos e produção, que auxiliem na atualização do cadastro.

Foto: Lucinara Masiero

Texto: Conceito.com

23 amostras aprovadas para D.O. 2011

23 amostras foram aprovadas em degustação realizada na Embrapa Uva e Vinho totalizando 544.785 litros

Dez vinícolas do Vale dos Vinhedos inscreveram amostras da Safra 2011 – sendo 20 vinhos e 6 base espumante -, para a Denominação de Origem Vale dos Vinhedos (D.O.V.V.). Foram aprovadas 23 amostras, de um total de 26 inscritas, após degustação realizada nos dias 5 e 6 de outubro no Laboratório de Análise Sensorial da Embrapa Uva e Vinho, segundo critérios do Conselho Regulador. O volume corresponde a 544.785 litros.

Entre as amostras aprovadas nove são de Merlot, cinco de Chardonnay, cinco de base espumante e quatro de assemblage tinto. Os vinhos foram inscritos pela Casa Valduga, Peculiare Vinhos Finos, Pizzato Vinhas e Vinhos, Terragnolo Vinhos Finos, Vinhos Don Laurindo, Vinícola Almaúnica, Vinícola Capoani, Cave de Pedra, Vinícola Dom Cândido e Vinícola Miolo.

A coleta desses vinhos foi feita nos dias 3 e 4 de outubro diretamente dos reservatórios nas vinícolas. Já a degustação sensorial ocorreu nos dias 5 e 6, com a participação dos pesquisadores da Embrapa Uva e Vinho, Mauro Zanus, Alberto Miele e Irineo Dall’Agnol; do presidente da Associação Brasileira de Enologia (ABE), Christian Bernardi e dos representantes da Associação dos Produtores de Vinhos Finos do Vale dos Vinhedos (Aprovale), Ademir Brandelli, Gilberto Simonaggio, Márcio Brandelli e Flávio Pizzato.

O início do processo de certificação contempla a verificação de comprovação documental de produção e origem das uvas. Já, ao final do processo, as vinícolas que pleiteiam a D.O para seus produtos receberão junto com o certificado os relatórios das análises do Laboratório de Referência em enologia (Laren), de Caxias do Sul, e os resultados das análises fisico-químicas e das degustações sensoriais realizadas na Embrapa Uva e vinho. Este processo é realizado não apenas para comprovar o enquadramento no Regulamento de Uso da D.O.V.V., mas também configura-se em uma importante ferramenta de feedback para qualificação contínua  a ser utilizada pelas vinícolas participantes.

 

Volumes aprovados em litros

Merlot – 165.285

Chardonnay – 50.600

Base espumante – 108.900

Assemblage tinto – 220.000

TOTAL – 544.785

 

Texto: Conceito.com

Foto: Lucinara Masiero