Inicia medição vitícola no Vale dos Vinhedos

Até agosto todos os vinhedos do roteiro deverão ter sido georreferenciados. Trabalho permitirá chegar à radiografia vitícola do Vale qualificando o cadastro

Identificar a localização e fazer a medição correta dos vinhedos da área demarcada do Vale dos Vinhedos. É com este objetivo que a Embrapa Uva e Vinho, com o apoio do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), iniciou hoje o georreferenciamento no roteiro. Depois de Monte Belo do Sul e Farroupilha, o Vale dos Vinhedos é a terceira região a ser beneficiada com o trabalho que resultará na radiografia precisa da área.

O primeiro vinhedo georreferenciado foi o do produtor Remy Valduga, mas a medição contemplará todos os vinhedos que estão localizados na área demarcada de Indicação Geográfica Vale dos Vinhedos, devendo se estender até agosto, dependendo das condições climáticas. O Vale é a terceira região a ser beneficiada, após Monte Belo do Sul e Farroupilha que já estão com a totalidade de suas áreas referenciadas.

O georreferenciamento propiciará a formação de um banco de informações completo, instrumento importantíssimo no gerenciamento da Denominação de Origem do Vale dos Vinhedos e na elaboração de projetos para o desenvolvimento sustentável da região, englobando as áreas dos três municípios que a compõem ? Bento Gonçalves, Monte Belo do Sul e Garibaldi.

Coordenado pela pesquisadora da Embrapa Uva e Vinho, Loiva Maria Ribeiro de Mello, o trabalho conta com o envolvimento dos engenheiros agrônomos Luiz Carlos Guzzo e Rudimar Zanesco. ?O cadastro, além de ser mais preciso, pode também ser utilizado em diversos estudos envolvendo relevos, clima e solo, entre outros aspectos, e ainda servir de base para projetos?, destaca Loiva. A medição está sendo feita com o uso de aparelhos de Sistema de Posicionamento Global (GPS) para definir os pontos que possibilitam a reprodução da área e a localização exata de cada cultivo.

A Associação dos Produtores de Vinhos Finos do Vale dos Vinhedos (Aprovale) está incentivando seus associados para facilitar o trabalho dos técnicos, acompanhando na medição e fornecendo informações úteis como variedade, porta-enxerto, idade dos vinhedos e produção, que auxiliem na atualização do cadastro.

Foto: Lucinara Masiero

Texto: Conceito.com

Anúncios

23 amostras aprovadas para D.O. 2011

23 amostras foram aprovadas em degustação realizada na Embrapa Uva e Vinho totalizando 544.785 litros

Dez vinícolas do Vale dos Vinhedos inscreveram amostras da Safra 2011 – sendo 20 vinhos e 6 base espumante -, para a Denominação de Origem Vale dos Vinhedos (D.O.V.V.). Foram aprovadas 23 amostras, de um total de 26 inscritas, após degustação realizada nos dias 5 e 6 de outubro no Laboratório de Análise Sensorial da Embrapa Uva e Vinho, segundo critérios do Conselho Regulador. O volume corresponde a 544.785 litros.

Entre as amostras aprovadas nove são de Merlot, cinco de Chardonnay, cinco de base espumante e quatro de assemblage tinto. Os vinhos foram inscritos pela Casa Valduga, Peculiare Vinhos Finos, Pizzato Vinhas e Vinhos, Terragnolo Vinhos Finos, Vinhos Don Laurindo, Vinícola Almaúnica, Vinícola Capoani, Cave de Pedra, Vinícola Dom Cândido e Vinícola Miolo.

A coleta desses vinhos foi feita nos dias 3 e 4 de outubro diretamente dos reservatórios nas vinícolas. Já a degustação sensorial ocorreu nos dias 5 e 6, com a participação dos pesquisadores da Embrapa Uva e Vinho, Mauro Zanus, Alberto Miele e Irineo Dall’Agnol; do presidente da Associação Brasileira de Enologia (ABE), Christian Bernardi e dos representantes da Associação dos Produtores de Vinhos Finos do Vale dos Vinhedos (Aprovale), Ademir Brandelli, Gilberto Simonaggio, Márcio Brandelli e Flávio Pizzato.

O início do processo de certificação contempla a verificação de comprovação documental de produção e origem das uvas. Já, ao final do processo, as vinícolas que pleiteiam a D.O para seus produtos receberão junto com o certificado os relatórios das análises do Laboratório de Referência em enologia (Laren), de Caxias do Sul, e os resultados das análises fisico-químicas e das degustações sensoriais realizadas na Embrapa Uva e vinho. Este processo é realizado não apenas para comprovar o enquadramento no Regulamento de Uso da D.O.V.V., mas também configura-se em uma importante ferramenta de feedback para qualificação contínua  a ser utilizada pelas vinícolas participantes.

 

Volumes aprovados em litros

Merlot – 165.285

Chardonnay – 50.600

Base espumante – 108.900

Assemblage tinto – 220.000

TOTAL – 544.785

 

Texto: Conceito.com

Foto: Lucinara Masiero