Vale dos Vinhedos é destaque no Vivino’s 2017 Wine Style Awards

giovani-nunes2Aplicativo leva em consideração o voto de seus usuários, que são mais de 2 milhões só no Brasil. Foto: Giovani Nunes

Os vinhos do Vale dos Vinhedos possuem características únicas, que aos poucos estão conquistando os paladares mais exigentes. Após diversos reconhecimentos em concursos nacionais e internacionais, de ser a única Denominação de Origem de Vinhos no Brasil e de conquistar novos mercados, inclusive o internacional, foi a vez dos vinhos do Vale dos Vinhedos serem destaque no meio virtual, no Vivino’s 2017 Wine Style Awards.

O Vivino é o maior aplicativo para vinhos no mundo. Nele, os mais de 20 milhões de usuários podem fotografar e classificar os vinhos degustados, atribuindo notas e comentários de acordo com suas experiências. Ao final de cada ano, o aplicativo divulga as listas dos vinhos mais pontuados em cada país onde o aplicativo tem atuação.

No Brasil são quatro as categorias com reconhecimento: Vinhos brasileiros de corte bordalês; Melhor Cabernet Sauvignon Brasileiro; Melhor Merlot Brasileiro; Melhor Espumante Brasileiro. O Vale dos Vinhedos e vinhos de vinícolas associadas a Associação dos Produtores de Vinhos Finos do Vale dos Vinhedos – Aprovale, foram citados em todas as categorias.

O destaque fica por conta da Categoria Melhor Merlot, onde 7 de 10 vinhos são do Vale dos Vinhedos e de associados da Aprovale. O Merlot é a variedade ícone do Vale, sendo a principal da Denominação de Origem Vale dos Vinhedos para vinhos tintos.

Confira abaixo em que posição ficaram os vinhos do Vale dos Vinhedos em cada categoria:

Vinhos brasileiros de corte bordalês
Miolo Lote 43 Cabernet Sauvignon / Merlot safra 2005 – 1° lugar
Miolo Cuvée Giuseppe Merlot / Cabernet Sauvignon safra 2012 – 9° lugar

Melhor Cabernet Sauvignon Brasileiro
Casa Valduga Villa-Lobos Gran Reserva Cabernet Sauvignon safra 2010 – 1° lugar
Cooperativa Vinícola Aurora Millesimé Cabernet Sauvignon safra 2012 – 3° lugar
Miolo Quinta do Seival Estate Cabernet Sauvignon safra 2012 – 7° lugar
Angheben Vinho Tinto Seco Cabernet Sauvignon 2010 – 8° lugar

Melhor Merlot Brasileiro
Casa Valduga STORIA Gran Reserva Merlot safra 2010 – 2° lugar
Pizzato Vinhas e Vinhos DNA 99 Single Vineyard Merlot safra 2008 – 3° lugar
Lídio Carraro Grande Vindima Merlot safra 2006 – 5° lugar
Miolo Terroir Merlot safra 2011 – 6° lugar
Terragnolo Vale dos Vinhedos Top Merlot safra 2012 – 7° lugar
Dom Cândido Vale dos Vinhedos Documento Fino Tinto Seco Merlot safra 2011 – 9° lugar
Casa Valduga Leopoldina Terroir Merlot safra 2012 – 10° lugar

Melhor Espumante Brasileiro
Casa Valduga RSV Reserva Moscatel Espumante safra 2015 – 2° lugar
Casa Valduga 130 Brut Espumante safra 2014 – 4° lugar
Miolo Millésime Brut safra 2011 – 6° lugar
Casa Valduga RSV Reserva Blush Espumante safra 2012 – 9° lugar

Larentis abre reserva particular e celebra 15 anos com seleção de vinhos

noticias-download3911.jpgCaixa com seis rótulos emblemáticos que contam a história da vinícola já está disponível aos interessados. Foto de Eduardo Benini

Uma vinícola que completa 15 anos tem muitas histórias para contar. São 15 safras, cada uma com suas particularidades, que resultam em vinhos únicos, exclusivos. A Vinhos Larentis, do Vale dos Vinhedos, abriu sua reserva particular para compartilhar um pouco de suas melhores memórias, reunindo em uma caixa seis de seus mais emblemáticos vinhos. É uma seleção de seis vinhos que marcaram época nessa trajetória e que já estão disponíveis ao interessados. Ao abrir e degustar cada garrafa, apreciadores estarão celebrando junto com a vinícola os 15 anos de uma história familiar dedicada ao cultivo da uva e a arte de elaborar bons vinhos.

noticias-download3831

Na coleção, em uma caixa personalizada de madeira, constam o Mérito 2008, Mérito 2012, Merlot Sta Lúcia 2013, Merlot Reserva 2012, Cabernet Sauvignon Reserva 2012 e Teroldego 2013. No entanto, não se trata de uma simples coleção. Além de conter o Merlot single vineyard safra 2013 com Denominação de Origem Vale dos Vinhedos (DOVV), apresentado em outubro deste ano, quem comprar o kit levará uma preciosidade da família Larentis, o Mérito 2008, vinho lançado em comemoração aos 10 anos da vinícola e que está sendo disponibilizado da reserva particular da família para brindar os 15 anos.

André Larentis, enólogo da vinícola, explica que o kit é uma forma de estender a comemoração aos amantes do vinho brasileiro, porém avisa que a oferta é limitada. “Temos guardadas apenas 100 garrafas do Mérito 2008 e 50 delas serão liberadas novamente ao mercado, por meio do kit, para uma segunda comemoração. É uma iniciativa muito especial que busca oferecer uma experiência diferenciada aos nossos clientes”, explica André.

A coleção, com apenas 50 unidades, está sendo comercializada pela loja virtual no site http://www.larentis.com.br e no varejo da vinícola.

Sobre os vinhos:

Mérito 2008 – o primeiro assemblage foi lançado em comemoração aos 10 anos da Larentis, em 2011. Vinho ícone, exclusivo, elaborado a partir da união perfeita entre 60% de Merlot, 20% de Cabernet Sauvignon, 10% de Ancellotta e 10% de Marselan. Foram produzidas apenas mil garrafas de uma tiragem histórica e especial.

Mérito 2012 – passados quatro anos após o lançamento da primeira edição do Mérito é que a Larentis apresentou novamente seu vinho ícone, por meio de uvas harmoniosamente combinadas nas proporções 62% de Merlot, 15% de Cabernet Sauvignon, 15% de Marselan e 8% de Ancellotta, com uma excepcional fineza e complexidade aromática.

Merlot Reserva 2012 – esse é o vinho produzido com a uva mais emblemática da Larentis. Aliado a essa superioridade no terroir está a qualidade da safra 2012, que proporcionou a chegada de um vinho espetacular, simbólico e carregado de personalidade, após envelhecer em barricas de carvalho norte-americano por oito meses e descansar na cave, após engarrafado, por no mínimo um ano, antes de ser comercializado.

Cabernet Sauvignon Reserva 2012 – de intensos aromas de cassis, especiarias como noz moscada e pimenta preta, passas e ameixa seca, é um vinho encorpado, com bom equilíbrio e persistência na boca.

Teroldego Cepas Selecionadas 2013 – com aromas de frutas vermelhas maduras, leves notas de tostado, a linha é elaborada somente em safras propícias para a elaboração de vinhos longevos. Com origem de Trento, na Itália, a variedade ainda é pouco conhecida no Brasil.

Merlot Sta Lúcia 2013 com DOVV – São apenas 1.465 garrafas elaboradas a partir de uvas da parcela 1.1 que foi escolhida pelos aspectos técnicos do vinhedo. A excelente exposição solar, o solo de textura argilosa, o relevo ondulado e bem drenado proporcionaram condições ideais, que aliados aos cuidados e a dedicação da família Larentis resultaram em uvas de altíssima qualidade e, por consequência, em um vinho particular.

Serviço
Produto: Kit 15 anos Larentis
O que contém: 6 garrafas (Mérito 2008, Mérito 2012, Merlot Sta Lúcia 2013, Merlot Reserva 2012, Cabernet Sauvignon Reserva 2012, Teroldego 2013)
Quantidade disponível: 50 unidades
Valor: R$ 650
Contato: larentis@larentis.com.brr
Onde comprar: www.larentis.com.br – Loja Virtual

Vallotano Vinhos Nobres lança espumante LaToller Brut

mistralEspumante lançado no dia 15 foi criado especialmente para a cantora Paula Toller. Cada garrafa traz o nome de um dos maiores sucessos da cantora. Na foto Paula Toller brinda o lançamento ao lado do vinhateiro da Vallontano, Luís Henrique Zanini.

PrintO poeta do vinho Luís Henrique Zanini, vinhateiro da Vallontano Vinhos Nobres, localizada no Vale dos Vinhedos, elaborou 3000 garrafas do espumante LaToller Brut especialmente para a cantora e compositora Paula Toller, grande apreciadora e apaixonada por bons vinhos.

O rótulo foi desenhado pela premiada designer Fernanda Villa-Lobos e cada garrafa traz o nome de um sucesso da cantora. São nove títulos diferentes que podem ser conferidos.

O espumante possui perlage fina e intensa, aromas frescos e sabores harmônicos, onde sua acidez revela-se com vivacidade. Com frescor e a elegância trazidos pelas castas Pinot Noir e Chardonnay, a harmonização é perfeita para brindar à boa música e aos bons momentos.

O lançamento no Rio de Janeiro aconteceu em coquetel preparado pela premiada chef Roberta Sudbrack em seu restaurante de mesmo nome, com apoio da Mistral e presenças ilustres.

Já em São Paulo o espumante foi apresentado em evento no Marakuthai Itaim, também com apoio da Mistral, e com a presença de amigos, imprensa e com a apresentação do espumante por Paula Toller e Luís Henrique Zanini.

O Espumante é comercializado e distribuído pela Mistral. Neste link é possível ler a ficha técnica e adquiri o produto:https://www.mistral.com.br/produto/espumante-latoller-brut-vallontano

Fotos: Divulgação / Mistral

Um brinde ao Vale dos Vinhedos

Espumante-Rose.jpg

Assim como os contornos das paisagens do Vale dos Vinhedos vão se modificando à medida que sobem as temperaturas, as preferências pelas bebidas degustadas também vão se adequando ao calor da primavera e do verão.

Os espumantes elaborados nas vinícolas do roteiro enoturístico vêm, ano a ano, conquistando um espaço de destaque na referência dos consumidores, que encontram na bebida o frescor e o terroir da região para desfrutar de momentos de celebração e descontração.

Reconhecido internacionalmente, o espumante brasileiro passa por um salto de qualidade e consumo que pode ser facilmente atribuído ao aprimoramento das tecnologias por parte dos produtores. O resultado final ganha resposta na crescente preferência do consumidor. E dentro desta predileção está o Vale dos Vinhedos. Todas as vinícolas do roteiro elaboram espumantes, fazendo do local uma referência à bebida.

sabor-do-vale-giovani-nunesA estrutura dos produtores e o comprometimento com o método tradicional de elaboração, uma das exigências da Denominação de Origem, faz com que os espumantes ganhem destaque. Atualmente, os produtores pensam no cultivo de uvas exclusivamente para espumantes, fato impensável há uma década.

O diretor técnico da Associação dos Produtores de Vinhos Finos do Vale dos Vinhedos, a Aprovale, André Larentis, atesta que a qualidade dos espumantes do Vale caminha junto com o terroir da região: “Dentro da Indicação Geográfica Vale dos Vinhedos o espumante vem ganhando cada vez mais representatividade e reconhecimento. Atingimos um altíssimo nível de qualidade, dado as condições do solo e clima propícias para a elaboração e o fato dos produtores do Vale terem investido em tecnologia e estudos aperfeiçoando a técnica de elaboração”, afirma Larentis.

Segundo o Regulamento da Denominação de Origem Vale dos Vinhedos (D.O.V.V.), 100% das uvas devem ser cultivadas nas áreas dentro dos limites do Vale dos Vinhedos. As videiras têm que ser plantadas exclusivamente em espaldeira. E, de uma forma geral, para espumantes, não se pode produzir mais do que 12 toneladas por hectare. E tudo isto deverá ser provado e reconhecido!

As variedades permitidas para espumantes na D.O.V.V. são Chardonnay, Riesling Itálico e a Pinot Noir, elaborados pelo método tradicional.

Quer conhecer este sabor no paladar?
Confira a lista de espumantes com Denominação de Origem Vale dos Vinhedos:

Pizzato Vinhas e Vinhos
Pizzato Brut Rosé Tradicional
O espumante rosado da Pizzato vem sendo elaborado desde 2007, sempre pelo método tradicional e com colheita designada.
Sempre seguiu as regras da Indicação de Procedência Vale dos Vinhedos e a partir da colheita 2013 as regras da Denominação de Origem Vale dos Vinhedos. Elaborado a partir de uvas próprias cultivadas no vinhedo Santa Lúcia, no Vale dos Vinhedos.

Pizzato Nature Branco Tradicional – D.O.V.V.
Vem sendo elaborado desde 2006 na modalidade Brut, sempre pelo método tradicional e com colheita designada. A partir da colheita 2012, elaborado nesta versão sem dosagem, mas não para todas as colheitas. Com a insígnia da Denominação de Origem Vale dos Vinhedos.

Pizzato Brut Branco Tradicional D.O.V.V.
É referencial da casa para espumantes! De 2006 a 2008, seguiu as regras da Indicação de Procedência Vale dos Vinhedos e a partir de 2009, até a presente tiragem, todas as colheitas ostentaram a insígnia da Denominação de Origem Vale dos Vinhedos.

Miolo Wine Group
Espumante Miolo Millésime Brut D.O.
O Miolo Millésime é um espumante produzido pelo método tradicional, somente em safras excepcionais com uvas de Chardonnay e Pinot Noir, cultivadas nos vinhedos da família Miolo em São Gabriel, município de Garibaldi, dentro da área demarcada da Denominação de Origem Vale dos Vinhedos, região que dá origem a um dos melhores espumantes do Brasil.

Cave de Pedra
Cave de Pedra Winery Espumante Brut D.O.
O espumante elaborado pelo método tradicional, com maturação por 36 meses. Possui coloração palha com alguns reflexos esverdeados, perlage fino, persistente, intenso e encantador. Aromas remetendo a frutas secas como damascos e passas, sutilmente harmonizados a elementos cítricos e doces. Em boca um espumante muito cremoso, leve e marcante.

Foto 1: Gilmar Gomes.

Foto 2: Giovani Nunes

 

Merlot com Denominação de Origem Vale dos Vinhedos chega para celebrar os 15 anos da Vinhos Larentis

noticias-download3831

Vinícola do Vale dos Vinhedos apresenta diferenciado Merlot da safra 2013 DOVV, elaborado a partir de uvas de uma parcela única do Vinhedo Santa Lúcia

Com goles de comemoração, a Vinhos Larentis celebra seus 15 anos colocando no mercado neste mês de outubro seu mais distinto Merlot. São apenas 1.465 garrafas elaboradas a partir de uma partilha limitada de uvas colhidas em 2013, numa área de 0,53 hectares do Vinhedo Santa Lúcia. O vinho é fruto de um single vineyard, em português, vinhedo único. A exclusividade do vinho ganha ainda mais destaque por trazer Denominação de Origem Vale dos Vinhedos (DOVV), na Serra Gaúcha.

A parcela 1.1 foi escolhida pelos aspectos técnicos do vinhedo. A excelente exposição solar, o solo de textura argilosa, o relevo ondulado e bem drenado proporcionaram condições ideais, que aliados aos cuidados e a dedicação da família Larentis resultaram em uvas de altíssima qualidade e, por consequência, em um vinho particular. Após a colheita manual, as uvas passaram por uma seleção para, então, ser dado início ao processo de elaboração do vinho, por meio de controle de temperatura, realização de pigeage e remontagem durante a fermentação, maceração prolongada e fermentação malolática em barricas.

Após passar pela maturação em cinco barricas francesas durante 12 meses e com envelhecimento em garrafas na cave por outros 18 meses, tornou-se um vinho com personalidade, complexo, equilibrado e persistente.

O primeiro vinho com DOVV da Vinhos Larentis é apresentado justamente no ano em que a vinícola completa 15 anos. Uma data especial, sem dúvida, e que merece um presente diferenciado. O lançamento também merece rótulo especial, que valoriza justamente a parcela única (1.1) onde a uva Merlot é cultivada no Vinhedo Santa Lúcia. “São conquistas importantes, resultado do trabalho diário de toda a família, sempre em busca do melhor”, comemora André Larentis, enólogo da Larentis.

andre-larentis

André Larentis assina rótulo
As comemorações da Vinhos Larentis continuam. O primeiro vinho DOVV da vinícola chegou por meio das mãos e de muita dedicação do enólogo André Larentis, que assina o novo rótulo. André, que faz parte da quinta geração da família, é filho de Larri e Vera Larentis.

Aos 26 anos e formado em Viticultura e Enologia, André tem na bagagem cursos e imersões técnicas em vinícolas pelo mundo. Estados Unidos e Itália foram destinos de aprendizado e experiências. Além de preparo, o enólogo vive a vitivinicultura. Desde sempre soube da responsabilidade que tem à frente do empreendimento da família. “É a realização de um sonho semeado, cultivado e colhido em família. É o primeiro projeto que participo desde a preparação do solo. Foram oito anos dedicados a colocar toda magia de uma parcela de um vinhedo na garrafa e estamos felizes com o resultado”.

vinhos-larentis

Um longo caminho até a DO
A Vinhos Larentis é privilegiada por estar localizada no Vale dos Vinhedos, a primeira região com Denominação de Origem (DO) de vinhos no Brasil. No entanto, para integrar o importante grupo de vinícolas com vinhos com DO, foram meses de trabalho para cumprir uma série de procedimentos.

A norma estabelece que toda a produção de uvas e o processamento da bebida sejam realizados na região delimitada do Vale dos Vinhedos. Além disso, a DO também apresenta regras de cultivo e de processamento mais restritas que as estabelecidas para a Indicação de Procedência (IP).

Para receber o certificado foi necessário comprovar a procedência da uva, que neste caso tem 100% em área demarcada do Vale dos Vinhedos. Além disso, a produtividade de 4,2 toneladas por hectare também foi determinante, uma vez que o máximo permitido é de 10 toneladas por hectare.

O vinho também precisou ser aprovado em análises físico-químicas e na avaliação sensorial (degustação às cegas), realizada pelo Comitê de Degustação, composto por técnicos da Embrapa Uva e Vinho, da Associação dos Produtores de Vinhos Finos do Vale dos Vinhedos (Aprovale) e da Associação Brasileira de Enologia (ABE).

Fotos: Divulgação/Vinhos Larentis

Vinícolas associadas a Aprovale entre as 16 amostras representativas da safra 2016

abe2-jeferson-soldiVinícola Almaúnica , Miolo Wine Group, Casa Valduga Vinhos Finos e Domno do Brasil foram destaque na categoria Tinto Fino Seco e Vinho Base para Espumante

Mais de 850 pessoas, entre enólogos, sommeliers, enófilos, jornalistas e apreciadores do vinho brasileiro, tiveram o privilégio de provar na taça variados sabores e aromas na 24ª Avaliação Nacional de Vinhos, realizada no sábado, 24 de setembro, no Parque de Eventos de Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha.

Promovido pela Associação Brasileira de Enologia (ABE) desde 1993, o evento deste ano elegeu 16 amostras entre 75 (30%) mais representativos da Safra 2016. Ao total foram 241 amostras de 46 vinícolas de mais de 10 microrregiões produtoras.

Dentre elas, reforçando a tradição das vinícolas do Vale dos Vinhedos na elaboração de vinhos tintos e espumantes, foram premiados na categoria Tinto Fino Seco as variedades Tempranillo, da Miolo Wine Group, Marselan, da Casa Valduga Vinhos Finos e Cabernet Sauvignon da Vinícola Almaúnica. Na categoria Vinho Base para Espumante, o Chardonnay da Domno do Brasil, do Grupo Famiglia Valduga também foi reconhecido.

Segundo o presidente da Associação dos Produtores de Vinhos Finos do Vale dos Vinhedos – Aprovale, e também enólogo da Vinícola Almaúnica, a Avaliação Nacional de Vinhos reforça a qualidade do vinho nacional apesar das dificuldades enfrentadas em 2015. “A Avaliação Nacional de Vinhos, através da pré-avaliação de enólogos e dos participantes do evento, mostrou que as dificuldades climáticas enfrentadas no ano de 2015 afetaram na quantidade de uvas produzidas, mas não na qualidade dos vinhos elaborados. Pelo contrário. Verificamos um nível elevado entre os vinhos degustados. Vinhos com aromas, estrutura, complexidade, elegância e fineza. Em particular, falando como enólogo da Vinícola Almaúnica, fomos surpreendidos em nossas quatro variedades de tintos: em 2016 elaboramos os melhores tintos até então.”

abe3-jeferson-soldi

A avaliação técnica das amostras inscritas foi realizada por 90 enólogos no Laboratório de Análise Sensorial da Embrapa Uva e Vinho, parceira técnica do evento. Para corroborar com esta avaliação, a maior degustação de vinhos da mesma safra do mundo culminou com um grande evento no dia 24. Conduzido por um painel de 16 comentaristas formado por grandes nomes ligados à cultura do vinho, 850 pessoas degustaram e avaliaram através de votação online as amostras apresentadas, permitindo a divulgação praticamente instantânea das notas de cada vinho.

Em 24 safras, a Avaliação Nacional de Vinhos já apreciou 5.522 amostras, sendo 241 nesta edição, e o público reunido totaliza 15.467 pessoas. O evento é reconhecido por sua proximidade com a cadeia produtiva da uva e do vinho, de modo que contribui para que a produção do vinho brasileiro evolua em qualidade, tecnologia e reconhecimento. Portanto, um dos legados da Avaliação é nortear produtores e enólogos na escolha de variedades de uvas, técnicas de elaboração e lançamento de produtos.

16 amostras selecionadas entre os 30% e degustadas pelo público

Categoria Tinto Fino Seco
Tempranillo – Miolo Wine Group Vitivinicultura (Bento Gonçalves – RS)
Marselan – Casa Valduga Vinhos Finos (Bento Gonçalves – RS)
Cabernet Franc – Casa Perini (Farroupilha – RS)
Cabernet Sauvignon – Guatambu Estância do Vinho (Dom Pedrito – RS)
Cabernet Sauvignon – Vinícola Almaúnica (Bento Gonçalves – RS)
Tannat – Dunamis Vinhos e Vinhedos (Dom Pedrito – RS)
Alicante Bouschet – Dal Pizzol Vinhos Finos (Bento Gonçalves – RS)

Categoria Vinho Base para Espumante
Chardonnay – Casa Venturini Vinhos e Espumantes (Flores da Cunha – RS)
Chardonnay – Domno do Brasil (Garibaldi – RS)
Chardonnay/Pinot Noir – Vinícola Geisse Ltda. (Pinto Bandeira – RS)

Categoria Branco Fino Seco Não Aromático
Riesling Itálico – Vinícola Salton (Bento Gonçalves – RS)
Chardonnay – Cooperativa Agroindustrial Nova Aliança (Santana do Livramento – RS)
Chardonnayy – Basso Vinhos e Espumantes (Farroupilha – RS)

Categoria Branco Fino Seco Aromático
Sauvignon Blanc – Rasip Agropastoril (Vacaria – RS)
Moscato Giallo – Vinícola Don Guerino (Alto Feliz – RS)

Categoria Tinto Fino Seco Jovem
Merlot – Vinícola Casa Motter (Caxias do Sul – RS)

Números da 24° Avaliação Nacional de Vinhos – Safra 2016
– Amostras inscritas: 241
– Vinícolas participantes: 46
– Time da Degustação de Seleção: 90 enólogos
– Participantes: 850 apreciadores de nove países (Bélgica, Brasil, Chile, Estados Unidos da América, França, Guiana, Grécia, Reino Unido e Uruguai). Do Brasil, compareceram enófilos de 11 estados (Bahia, Ceará, Espírito Santo, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina e São Paulo), além do Distrito Federal.
– Painel de comentaristas: 15 convidados de sete países (Bélgica, Brasil, Chile, Estados Unidos, França, Grécia e Reino Unido) e um apreciador sorteado entre o público (Salvador Antonio Portela).
– Serviço do vinho: 90 alunos dos cursos de Viticultura e Enologia, Enoturismo e Sommelier.
– Amostras degustadas: 16
– Garrafas servidas: 1.440 (90 de cada)

Fotos: Jeferson Soldi / Informações: ABE- Associação Brasileira de Enologia

Adriano Miolo lança safra 2012 do ícone Lote 43 em Porto Alegre

Miolo-Lote-43-2012-214Além do preview do novo Lote, jantar harmonizado vai contar com degustação das safras 2004, 2005, 2008 e 2011

Considerada uma das melhores dos últimos anos, a safra 2012 finalmente chega ao mercado representada pelo vinho ícone da Miolo, que homenageia a história da família, já que traz em seu nome a referência ao primeiro e emblemático lote de terra em que o italiano Giuseppe Miolo plantou suas vinhas em 1897, quando chegou ao Brasil: o Lote 43, localizado no Vale dos Vinhedos (RS).

Elaborado somente em safras excepcionais, o Miolo Lote 43 resulta de um blend de uvas Merlot e Cabernet Sauvignon selecionadas por Adriano Miolo, enólogo da família. O vinho chega à sua sétima edição com a safra 2012. Durante 17 anos, foram produzidas somente 7 safras: além desta, as safras produzidas foram 1999, 2002, 2004, 2005, 2008 e 2011.

No Lote 43, é explorado o conceito francês de ‘cru’, ou seja, um vinhedo especial de onde surge um vinho ícone e singular. A Merlot é a casta que melhor se expressa nesse terroir e a Cabernet Sauvignon é muito mais exigente em alcançar sua maturação ideal. Dependendo do ano, do clima mais temperado e seco, com mais horas de sol, há condições favoráveis para a produção deste vinho. Somente nesses anos é elaborado o Miolo Lote 43.

“O primeiro Lote 43 foi produzido em 1999. Desde então, houve uma grande evolução na qualidade dos vinhedos, nos processos de elaboração e de envelhecimento. O Lote 43 pode ser considerado a verdadeira testemunha da evolução da qualidade dos vinhos da Miolo e da vitivinicultura brasileira”, afirma Adriano Miolo.

O vinho possui a certificação D.O. Vale dos Vinhedos, primeira região do Brasil a receber o selo de Denominação de Origem. A sua regulamentação estabelece que toda a produção de uvas e a elaboração dos vinhos sejam realizadas na região delimitada do Vale dos Vinhedos sob rigorosas regras técnicas, elevados padrões de qualidade e precisa avaliação sensorial de todos os vinhos.

Wine Dinner Miolo Lote 43 2012 em Porto Alegre

Porto Alegre é uma das 7 capitais brasileiras escolhidas para receberem o evento de lançamento do Miolo Lote 43 2012. O Wine Dinner que marca o preview do novo vinho acontece no dia 7 de julho, no 72 IN Restaurant. O menu do jantar, desenvolvido exclusivamente para a ocasião, será harmonizado com uma vertical do Miolo Lote 43 (safras 2004, 2005, 2008, 2011 e a nova 2012), possibilitando que os convidados apreciem a evolução do vinho ao longo dos anos.

Wine Dinner Miolo Lote 43 safra 2012 – Porto Alegre
Dia 7 de julho, às 20h30min
Local: 72 IN Restaurant – Av. Nova York, 48 – Auxiliadora
Valor do convite: R$ 200,00
Informações e reservas: (51) 3012-0172 ou 9939-0072