ABS-RS conduz degustações de vinhos brasileiros na Wine South America

Wine South America.jpg

Denominação de Origem Vale dos Vinhedos será destaque no dia 29

A Associação Brasileira de Sommeliers do Rio Grande do Sul (ABS-RS) é a responsável pelas degustações temáticas sobre vinhos brasileiros da primeira edição do Wine South America – a Feira internacional do Vinho, que segue até sábado, no Fundaparque, em Bento Gonçalves (RS). As masterclass (palestras com degustações) acontecem na Sala Wine Tasting, com capacidade para acomodar 40 enófilos por sessão. Toda a programação é focada na valorização dos vários aspectos que sustentam a excelência dos vinhos e espumantes brasileiros – mostrando com destaque os produtos top com a identidade do Brasil.

A programação abriu na quarta, com duas masterclass – “Vinho brasileiro envelhece bem?”, com Marcelo Vargas, e “Campanha Gaúcha – Terroirs em ascensão”, com Júlio César Kunz. Outras degustações estão programadas com os temas “Diversidade verde-amarela: as variedades pouco comuns dos vinhos brasileiros”, com Maurício Roloff, “A percepção de valor através da embalagem”, com Andreia Gentilini Milan, “Ícone do Brasil”, com Marcelo Vargas, “As preferências do consumidor brasileiro”, com Andreia Gentilini Milan, “Painel de espumantes: método tradicional vs. Charmat”, com Vinícius Santiago.

A única Denominação de Origem de Vinhos do Brasil – Vale dos Vinhedos – será uma das atrações do espaço. O painel que será realizado no dia 29, com o título “Denominação de Origem Vale dos Vinhedos”, será apresentado por Deborah Villas-Bôas Dadalt e Aldemir Dadalt, respectivamente diretora de infraestrutura da Aprovale e membro do Conselho Superior da Aprovale.

Segundo o presidente da ABS-RS, Orestes de Andrade Jr., toda a programação é focada na valorização dos vários aspectos que sustentam a excelência dos vinhos e espumantes brasileiros, mostrando com destaque os produtos top com a identidade do Brasil. “As nossas degustações então entre os grandes atrativos da feira, contribuindo para a divulgação global da qualidade dos vinhos brasileiros”, diz o presidente da entidade.

Conforme Alberto Piz, diretor da Milanez & Milaneze, promotora da Wine South America 2018 e subsidiária da italiana Veronafiere, realizadora da Vinitaly, o Brasil vem despertando a atenção dos mercados globais pela evolução de suas bebidas. “Vamos mostrar, com o aval técnico dos sommeliers, os diferenciais desse terroir e como ele se traduz em excelentes produtos. Com isso, vamos abrir caminho para novas oportunidades de negócios para as vinícolas locais, que ganharão importante visibilidade e respaldo”, comenta Alberto Piz.

SERVIÇO
O quê: Wine South America 2018 – Feira Internacional do Vinho.
Quando: de 26 a 29 de setembro
Onde: Bento Gonçalves, RS
Local: Parque de Eventos de Bento Gonçalves (Alameda Fenavinho, 481)
Informações sobre masterclass: contato@absrs.com.br

Programação no site https://www.winesa.com.br/site/2018/pt/winetasting

Fotos: Assessoria de Imprensa Wine South America

Anúncios

Vinho brasileiro e o Vale dos Vinhedos são destaque em publicações internacionais

cropped-espumante-vale-dos-vinhedos.jpgA revista inglesa Decanter destaca espumante nacional na edição de outubro. Portal e blogs de especialistas norte-americanos também trazem elogios aos rótulos verde-amarelos. Foto: Gilmar Gomes / Acervo Aprovale

Os rótulos brasileiros, de forma especial os espumantes, têm obtido destaque na imprensa internacional em veículos considerados referência no segmento de bebidas. Prova disso são as publicações em uma das mais respeitadas revistas sobre vinhos do mundo, a inglesa Decanter. O veículo trará na edição de outubro duas matérias com referências elogiosas aos vinhos e espumantes brasileiros.

Um dos textos apresenta aos leitores a produção de espumantes nos países da América do Sul. Sobre o Brasil, a revista destaca a grande diversidade e os micro terroirs propícios para a produção da bebida. A publicação afirma que o clima festivo e de celebração estão no DNA do país e se traduzem nas características dos espumantes. A Decanter cita a Serra Gaúcha como a principal região produtora e faz elogios ao moscatel brasileiro e à leveza dos espumantes elaborados pelo método Charmat e também à complexidade das borbulhas elaboradas nas localidades mais altas da Serra Gaúcha.

Ainda na edição que circulará no mês de outubro da autodenominada “melhor revista de vinhos do mundo”, o Master of Wine brasileiro Dirceu Vianna Júnior indica 18 produtos vitivinícolas brasileiros que representam o crescimento qualitativo da produção nacional. Com destaque para os espumantes – são oito rótulos – além de seis vinhos tintos e quatro brancos das regiões da Serra e Campanha Gaúcha, e também de novas fronteiras como Planalto Catarinense e região Noroeste de São Paulo.

Dentre os rótulos citados na publicação estão vinhos e espumantes da Casa Valduga, Miolo Wine Group e Pizzato Vinhas e Vinhos, do Vale dos Vinhedos, com destaque para produtos da Denominação de Origem. Aurora, associada a Aprovale, também teve rótulos selecionados.

São os rótulos citados, com elaboração no Vale dos Vinhedos: Casa Valduga 130 Especial Edition Blanc de Noir, Pizzato Nature 2014 (com Denominação de Origem Vale dos Vinhedos), Pizzato Brut Rosé 2016 (com Denominação de Origem Vale dos Vinhedos),Pizzato Legno Chardonnay 2017 (com Denominação de Origem Vale dos Vinhedos), Pizzato DNA 99 Merlot 2012 (com Denominação de Origem Vale dos Vinhedos), Miolo Millésime Brut 2012 (com Denominação de Origem Vale dos Vinhedos) e Miolo Lote 43 2012 (com Denominação de Origem Vale dos Vinhedos).

Portal Liquor.com
Outra matéria que merece destaque é a do portal Liquor.com, resultado da visita do jornalista norte-americano Brad Japhe, colaborador do periódico USA Today, no verão deste ano à Serra Gaúcha. Ele integrou uma press trip organizada pelo projeto setorial Wines of Brasil, desenvolvido pelo Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). Com o título “Is Brazil the next big name in South American Wine?” (em tradução livre: O Brasil é o próximo grande nome do vinho Sul Americano?), o profissional declara ter ficado impressionado com os vinhos que degustou e encerra o texto com uma dica aos leitores que ainda não conhecem os rótulos brasileiros: “(…) Assim como você nunca deve julgar um livro pela capa, não se deve julgar um vinho por sua procedência. O verdadeiro valor está no líquido além do rótulo, é claro. Explore o vinho brasileiro e você provavelmente descobrirá mais do que esperava”, pontuou.

Nesta matéria que pode ser acessada no link https://www.liquor.com/articles/brazilian-wine/ Miolo Wine Group, Pizzato Vinhas e Vinhos, Lídio Carraro e Casa Valduga são destaque.

Wine Travel Stories
A participação da Master of Wine americana Liz Thach durante o Congresso Latino-Americano de Enoturismo, em junho deste ano, também resultou na publicação de um artigo inspirado sobre o vinho e sobre a enogastronomia brasileira. Em seu blog Wine Travel Stories, a californiana elencou 10 pontos sobre a história da bebida no país e que mais lhe chamou atenção. Liz citou como fun facts (curiosidades) a leveza, a característica frutada e alegre dos produtos brasileiros. Após visitar nove vinícolas (dentre elas Miolo, Casa Valduga, Pizzato, Lídio Carraro e Aurora, associadas a Aprovale), cinco restaurantes (dentre eles Valle Rustico e Trattoria Mamma Gema, no Vale dos Vinhedos) e outros empreendimentos enoturísticos, a Master of Wine atesta a vocação brasileira para a elaboração de espumantes e conclui: “uma das melhores partes da visita foi a chance de provar alguns deliciosos vinhos espumantes – o seu vinho-ícone. O Brasil é realmente a terra da diversão e da celebração – e seu vinho espumante é a prova disso.” Nas próximas semanas, um artigo de sua autoria também circulará nas páginas da renomada revista americana Wine Spectator também com suas impressões sobre a produção verde-amarela.

A matéria de Liz Thach pode ser acessada neste link: https://winetravelstories2.com/2018/07/10/fun-facts-about-brazilian-wine/

Fonte de informações: assessoria de imprensa Ibravin

Um dia de poda na Vinhos Larentis

larentis.jpgAtividade que visa apresentar aos participantes o processo de poda dos vinhedos, faz parte da programação especial de inverno no Vale dos Vinhedos.

O inverno no Vale dos Vinhedos é importante não somente em termos de turismo, mas também no processo do cultivo da uva. É nesse período que as videiras adormecem para recuperar as energias no repouso vegetativo, quando também é realizada a poda de inverno, processo que contribui para o controle da produtividade e consequente qualidade no brotar das uvas.

Para proporcionar conhecimento aos enófilos, a Vinhos Larentis oferecerá em agosto, uma programação especial referente a este tema, nos vinhedos da vinícolas. Na recepção será ministrada palestra de 30 minutos que tratará do segredo da poda na qualidade dos vinhos, trazendo informações e curiosidades a respeito da produção vitivinícola. Em seguida serão fornecidas instruções para a atividade e, posteriormente, acontece a poda, que será praticada pelos inscritos na programação. Nesse momento os visitantes pegam a tesoura para a prática que se repete todos os anos, durante cerca de um mês. O encontro é encerrado com uma visitação e degustação técnica de vinhos e espumantes Larentis.

De acordo com André Larentis, enólogo da vinícola, a melhoria da qualidade da uva e, consequentemente, dos vinhos e espumantes depende profundamente da poda. “O programa abre as portas para que os visitantes explorem essa atividade pouco conhecida, o que também aproxima os apreciadores de vinho do processo de produção das uvas e elaboração dos vinhos”, ressalta.

SERVIÇO
Quando: 11 de agosto de 2018
Horário: 14h
Valor: R$ 50,00 por pessoa
Inclui: Poda, visitação e degustação técnica
Informações e reservas: 54 3453-6469 | larentis@larentis.com.br
Vagas limitadas.

Untitled design (1)

Mesa Redonda sobre a Zona Franca da Uva e do Vinho acontece no Vale dos Vinhedos nesta sexta-feira

jOÃO dERLY.jpgIniciativa do projeto é do deputado federal João Derly com apoio da Aprovale

O projeto de lei (9045/2017) que cria a Zona Franca da Uva e do Vinho vem sendo debatida em Brasília, no trâmite das comissões da Câmara dos Deputados, mas também nas 23 cidades que serão contempladas com a iniciativa. Nesta sexta-feira (6), Bento Gonçalves completa a série de Mesas Redondas sobre o tema. O evento é promovido pelo deputado federal João Derly (REDE-RS), autor do projeto, e pela Comissão de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e da Amazônia. Estarão presentes representantes dos municípios de Bento Gonçalves, Garibaldi, Monte Belo do Sul, Nova Roma do Sul, Santa Teresa, Veranópolis, Salvador do Sul, Antônio Prado, Caxias do Sul, Guaporé, Nova Prata, Coronel Pilar e Cotiporã.

A intenção do projeto é desenvolver a vitivinicultura local e o enoturismo na região. Para tanto, ele pretende enfrentar o problema da elevada tributação que sobrecarrega a cadeia vitivinícola e que gera uma concorrência desleal, principalmente com produtos de fora do Brasil.

João Derly acredita que essa é a hora de incentivar a geração de empregos e a Serra Gaúcha destaca-se internacionalmente no turismo. “Enfrentamos uma grave crise de desemprego que atinge quase 14 milhões de brasileiros. O turismo na região é uma tradição e um grande gerador de empregos e atrativo para investimentos externos. Reduzindo o alto custo dos impostos, a consequência seria o aumento da produção que levaria à queda dos preços e à geração de vagas de emprego. Com isso garantimos desenvolvimento de diversos setores da cadeia”, argumenta o parlamentar.

O projeto de lei sugere a criação de uma zona franca semelhante a já existente em Manaus. O regime tributário especial, explica Derly, seria restrito às atividades da cadeia vitivinícola do Vale da Uva e do Vinho. Foram convidados para discutir o projeto, que será mediado por João Derly, entre outras autoridades, Deborah Villas-Bôas, diretora de infraestrutura da Aprovale (Associação dos Produtores de Vinhos Finos do Vale dos Vinhedos) e do vereador de Bento Gonçalves, Eduardo Viríssimo, além dos prefeitos e representantes de diversas cidades da região.

As 23 cidades contempladas pelo projeto são Bento Gonçalves, Garibaldi, Monte Belo do Sul, Antônio Prado, Boa Vista do Sul, Carlos Barbosa, Caxias do Sul, Coronel Pilar, Cotiporã, Farroupilha, Flores da Cunha, Guaporé, Ipê, Nova Pádua, Nova Prata, Nova Roma do Sul, Pinto Bandeira, Salvador do Sul, Santa Tereza, São Marcos, Sao Valentim do Sul, Veranopólis e Vila Flores.

A Mesa Redonda acontecerá no Hotel e SPA do Vinho (rodovia RS 444 – KM 21 – Vale dos Vinhedos, Bento Gonçalves) a partir das 9h. Na semana que passou Farroupilha recebeu o evento que reuniu prefeitos, entidades e autoridades de sete municípios.

Fonte: Assessoria de comunicação de João Derly

Congresso Latino-Americano de Enoturismo tem mais de 200 participantes inscritos

cropped-condomc3adnio-vitivinc3adcola-spa-do-vinho.jpgAlém de brasileiros, evento realizado no Vale dos Vinhedos terá congressistas da Argentina e Uruguai.

A meta prevista pela organização do 7º Congresso Latino-Americano de Enoturismo já foi alcançada. Mais de 200 participantes da Argentina, do Brasil e do Uruguai, ligados diretamente ao setor vitivinícola e ao turismo, estarão reunidos de quarta-feira (27) a sábado (30), no Spa do Vinho Autograph Collection Hotel, no Vale dos Vinhedos, em Bento Gonçalves (RS).

A abertura do oficial do Congresso será na tarde do dia 27, a partir das 13h30min, com as boas-vindas aos congressistas. Às 14h15min, Ivane Fávero, presidente da Associação Internacional de Enoturismo (Aenotur) – uma das entidades promotoras – contará o histórico e a concepção do evento e da própria instituição que preside.

O case do Vale dos Vinhedos, local escolhido para a realização da sétima edição do Congresso e que foi palco também do primeiro do encontro, em 2010, será apresentado, às 15h, por Deborah Villas-Bôas Dadalt, diretora de infraestrutura da Associação dos Produtores de Vinhos Finos do Vale dos Vinhedos (Aprovale). Ela discorrerá sobre o pioneirismo da região no enoturismo.

Ao término, haverá uma pausa para que os congressistas possam torcer juntos pela seleção brasileira de futebol na Copa do Mundo. Uma estrutura, no próprio Spa do Vinho, estará à disposição para quem quiser assistir à partida entre Brasil e Sérvia. Ao final do jogo, haverá o Welcome Wine, na esplanada do Spa do Vinho.

O Vale dos Vinhedos também será uma das localidades que receberá uma das visitas técnicas do Congresso. Na tarde do dia 28, os congressistas que adquiriram o pacote especial almoçarão no Trattoria Mamma Gema, onde serão servidos vinhos da Denominação de Origem Vale dos Vinhedos. Após o grupo conhecerá a estrutura da Gasper Adventure Vale dos Vinhedos, onde participará de passeio de quadriciclo pelas trilhas do Hotel Villa Michelon. E para encerrar, realizarão uma visita técnica a Vinícola Almaúnica.

O Congresso Latino-Americano de Enoturismo é uma realização da Aenotur, do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) e do Governo do Estado do Rio Grande do Sul. Esta será a quarta vez que o evento é realizado na região. A primeira (2010) e segunda (2012) edições ocorreram em Bento Gonçalves. Já a terceira edição (2014) teve a programação distribuída nos municípios de Bento Gonçalves, Garibaldi, Flores da Cunha e Caxias do Sul.

SERVIÇO
7º Congresso Latino-Americano de Enoturismo
Quando: 27 a 30 de junho de 2018
Onde: Spa do Vinho Autograph Collection Hotel (Rodovia RS-444, km 21), em Bento Gonçalves (RS)
Programação completa: www.congressoenoturismo.com.br
Informações: recepcao@aconteceeventos.com.br

 

Foto: Acervo Spa do Vinho

Curso de degustação de vinhos com Denominação de Origem Vale dos Vinhedos é ofertado pela Miolo

Curso de degustação de vinhos com Denominação de Origem Vale dos Vinhedos é ofertado pela Miolo

Vinicola Miolo.jpgO curso especial tem o objetivo de apresentar as peculiaridades dos vinhos reconhecidos e proporcionar uma experiência única aos visitantes com um tour exclusivo.

A Miolo Wine Group é uma das vinícolas que mais participam do processo da Denominação de Origem Vale dos Vinhedos, única para vinhos do Brasil, cuja gestão é realizada pela Associação dos Produtores de Vinhos Finos do Vale dos Vinhedos – Aprovale. O processo é bastante rigoroso, atesta a origem e peculiaridade, e avalia a qualidade dos vinhos tintos, brancos e espumantes de variedades que melhor se adaptaram ao local de origem.

Diante deste envolvimento e com o objetivo de sensibilizar o enófilo quanto à importância deste processo, a vinícola acaba de lançar um mini curso exclusivo sobre os seus vinhos que ostentam o selo da D.O.V.V. O curso acontecerá de segunda a sábado, a partir de 30 de maio, em dois horários diários: as 10h30min e as 14h30min. As visitas também serão dedicadas a pequenos grupos: cada horário terá 12 participantes apenas.

A programação contempla um roteiro diferenciado: inicia com um passeio pelos vinhedos, onde são apresentadas as variedades de uvas. Em seguida ocorre a visita pela vinícola, onde o processo de elaboração dos vinhos acontece. Do alto da torre da Miolo, com uma belíssima vista para o Vale dos Vinhedos, o visitante degusta o Millesime Brut D.O., eleito o melhor espumante do método champenoise do Hemisfério Sul. Nas caves, os anos de tradição e legado da família Miolo são apresentados com orgulho através de uma degustação do Merlot Terroir D.O., eleito melhor Merlot do Mundo em Londres. A degustação é realizada no acervo particular do Enólogo Adriano Miolo. A visita finaliza com a degustação de dois vinhos e dois espumantes em uma das salas de degustação.

Para participar deste mini curso, é necessário o investimento de R$ 60 por pessoa. As visitas iniciarão a partir de 30 de maio, e o agendamento prévio deve ser realizado através dos canais da Miolo: visita@miolo.com.br ou 54.2102.1537

 

PrintSobre a Denominação de Origem Vale dos Vinhedos
O Vale dos Vinhedos é a única Denominação de Origem para vinhos no Brasil e suas regras são bastante específicas, principalmente quanto aos cultivares autorizados e produtividade por pé e hectare. A qualidade dos produtos inscritos também é avaliada por um corpo especializado de degustadores. Ao adquirir um vinho com D.O.V.V., o consumidor leva pra casa um vinho com as características únicas do Vale dos Vinhedos e a certeza de qualidade.

As regras completas para a para a D.O.V.V. podem ser conferidas no site do Vale, neste link: http://www.valedosvinhedos.com.br/vale/conteudo.php?view=98&idpai=132

E a lista completa de vinícolas e vinhos que ostentam o registro, neste link: http://www.valedosvinhedos.com.br/vale/conteudo.php?view=97&idpai=132

Vinhos com Denominação de Origem Vale dos Vinhedos são premiados na França

Challenge2017-95Casa Valduga e Miolo Wine Group trouxeram para o Vale dos Vinhedos medalhas de ouro

A mais antiga avaliação de vinhos realizada na França reconheceu a qualidade e o

 diferencial dos vinhos da Denominação de Origem Vale dos Vinhedos. O Challenge International du Vin 2018 é o maior evento realizado no país e teve sua edição 2018 efetivada nos dias 20 e 21 de abril em Bordeaux.

Dentre as 5 mil amostras degustadas, entre os melhores chardonnays avaliados está o Casa Valduga Leopoldina Gran Chardonnay 2017 D.O., elaborado pela Casa Valduga Vinhos Finos. E dentre os melhores tintos, está o Miolo Merlot Terroir 2015 D.O. elaborado pela Miolo Wine Group. O concurso contou com 800 degustadores especialistas.

Vale destacar que ambas as amostras premiadas com medalha de ouro possuem Denominação de Origem Vale dos Vinhedos, o que reforça ainda mais a qualidade dos produtos que recebem esta distinção, e a seriedade do processo gerido pela Associação dos Produtores de Vinhos Finos do Vale dos Vinhedos – Aprovale.
O Merlot Terroir da Miolo Wine Group passou pelo processo da Denominação de Origem em 2015, e o Chardonnay da Casa Valduga no final do ano passado, em 2017.

Além de Miolo e Casa Valduga, a Vinícola Aurora, associada a Aprovale, teve dois vinhos premiados com a medalha de bronze. A Casa Valduga, além do Chardonnay, teve também o espumante 130 anos Espumante Blanc de Noir premiado com medalha de bronze.

As 5 mil amostras avaliadas foram provenientes de 38 países, sendo 11 das reconhecidas elaboradas no Brasil, promissor produtor de vinhos e espumantes, com qualidade comprovada.