Live apresenta resultados parciais do Observatório Turístico de Enfrentamento a Covid-19

Live será transmitida pelo Facebook http://fb.com/turismo.bento e pode ser assistida por toda a comunidade interessada no tema.

Qual impacto do setor turístico de Bento Gonçalves na propagação da Covid-19? Essa será a questão norteará a próxima “Quartas do turismo”, que ocorre no dia 12 de agosto. Na oportunidade, o Observatório turístico de enfrentamento a Covid-19 do município irá apresentar os resultados parciais do monitoramento.

A live, promovida pelo Comitê Pró-Turismo Bento, ocorre a partir das 20h na página oficial do Facebook da Secretaria Municipal de Turismo (SEMTUR) – http://fb.com/turismo.bento. O tema será abordado pelo secretário de Turismo, Rodrigo Ferri Parisotto e por pesquisadores que compõem o observatório.

O Comitê Pró-Turismo Bento é formado pela SEMTUR, Sindicato Empresarial de Gastronomia e Hotelaria Região Uva e Vinho (SEGH), Conselho Municipal de Turismo (COMTUR), Bento Convention Bureau, Centro da Indústria, Comércio e Serviços de Bento Gonçalves (CIC-BG), Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS) – Campus Bento Gonçalves e rotas turísticas Vale do Rio das Antas, Caminhos de Pedra, Cantinas Históricas, Vale dos Vinhedos e Encantos de Eulália.

O que é o Observatório turístico de enfrentamento a Covid-19 de Bento Gonçalves?
Com o objetivo de monitorar periodicamente as taxas de contaminação e a eficácia das medidas de segurança adotadas nos empreendimentos turísticos da cidade, Bento Gonçalves instituiu o Observatório em uma articulação do Comitê Pró-Turismo Bento com instituições de ensino superior.

Mediante coleta semanal dos dados por meio de formulário online, um percentual dos estabelecimentos cadastrados no selo “Ambiente Limpo e Seguro” integra a amostra do projeto.

Com uma equipe multidisciplinar, formada por onze pesquisadores com experiência, o Observatório conta com a parceria de seis instituições de ensino: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do RS (IFRS) – Campus Bento Gonçalves e Porto Alegre, Centro Universitário Cenecista de Bento Gonçalves (UNICNEC), Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), Universidade do Vale do Taquari (UNIVATES) e Universidade de Caxias do Sul (UCS).

Fonte: Assessoria de Comunicação Social da Prefeitura

Bento Gonçalves inicia cadastro para plataforma Smart Tracking

Vale dos Vinhedos também fará parte da iniciativa de combate ao Covid-19

Nas ações de combate a disseminação ao coronavírus a Prefeitura de Bento Gonçalves, juntamente com o Observatório Turístico de enfrentamento à Covid-19 trabalha na implantação de uma nova plataforma, a Smart Tracking, que visa auxiliar na contenção da propagação do vírus, ainda no período de incubação da doença. Na terça-feira, 28, iniciou o processo de cadastramento da população e empreendimentos que tiverem o interesse de utilizar o sistema.

A plataforma não identifica os usuários e foi desenhada de acordo com as regras da nova Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). O mapeamento leva em conta estabelecimentos comerciais, de prestação de serviços, restaurantes, ônibus, super mercados por onde a pessoa tenha passado por até 15 dias antes do diagnóstico.

A informação serve para alertar as autoridades sanitárias e os próprios donos dos empreendimentos sobre a ocorrência de pessoa contaminada, medida considerada importante para tomada de ações de prevenção. Outras pessoas que tenham passado pelos mesmos ambientes no dia e horário que o paciente testado positivo passou também serão avisadas.

O Secretário de Turismo, Rodrigo Ferri Parisotto salientou que a ferramenta não tem custo para população, que só precisa realizar um rápido cadastro no site smarttourbrasil.com.br/smart-tracking e posteriormente começará o cadastramento dos estabelecimentos. “Vamos iniciar o cadastro da população que tem o interesse de participar da plataforma, para depois engajarmos os estabelecimentos. Estamos iniciando um processo muito importante, que será o diferencial no controle da disseminação do vírus”, destaca.

Importante saber:

  • Para realizar o cadastro é só acessar smarttourbrasil.com.br/smart-tracking
  • A plataforma não identifica os usuários e foi desenhada de acordo com as regras da nova Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD);
  • O cidadão não é obrigado a se cadastrar no sistema;
  • Ao se cadastrar, o cidadão receberá uma mensagem com todas informações para caso tenha sintomas;
  • O Município não tem acesso aos dados, nem os estabelecimentos cadastrados;
  • Sempre que visitar um local cadastrado neste sistema, o cliente lê o QR Code acionando a câmera do smartphone, faz o check-in nos estabelecimentos por onde passar.
  • Autoridades de Saúde realizam o rastreio de locais e pessoas com quem os pacientes testados positivo para Covid-19 tiveram contato até os 15 dias anteriores ao diagnóstico da doença.
  • Os demais usuários que estiveram nos mesmos locais, datas e horários serão informados sobre a possibilidade de contágio. E claro, orientados sobre como proceder e identificar sintomas.
  • A identidade da pessoa contaminada jamais será divulgada.

Como funciona para os estabelecimentos:

  • Estabelecimento comercial realiza cadastro na plataforma, imprime o QR Code gerado e o deixa à vista do cliente.
  • Cliente lê o QR Code acionando a câmera do smartphone, realiza o primeiro cadastro e depois apenas faz o check-in nos estabelecimentos por onde passar.
  • Autoridades de Saúde realizam o rastreio de locais e pessoas com quem os pacientes testados positivo para Covid-19 tiveram contato até os 15 dias anteriores ao diagnóstico da doença.
  • Estabelecimentos e usuários cadastrados recebem o aviso por e-mail ou SMS caso tenham sido identificados no rastreio.
  • Simples Assim!

Para cadastrar-se como pessoa física ou empresa, basta acessar http://bento.tur.br/qrcode

Oficinas do Ponto de Cultura Vale dos Vinhedos com inscrições abertas

As oficinas acontecerão em agosto e serão realizadas de forma online

Ponto de Cultura Vale dos Vinhedos, em operação desde outubro de 2019, precisou se reinventar diante das ações de combate ao Covid-19. Na modalidade online, em agosto serão ofertadas três oficinas que abordam tradições da cultura da imigração italiana.

“Histórias & Saberes”, “Gastronomia Típica I” e “Jogo da Mora I”, por serem realizadas a distância, podem ser acessadas de qualquer parte do país, bastando ter um celular ou computador com acesso a internet. Serão quatro encontros para cada oficina, sendo um encontro por semana. Por serem realizadas em dias e horários distintos, é possível inclusive inscrever-se em mais de uma modalidade.

A participação é gratuita, sendo apenas necessário o preenchimento do formulário no site https://www.passeiosnovale.com.br/ponto-de-cultura-vale-dos-vinhedos

Sobre o Ponto de Cultura Vale dos Vinhedos
O Circolo Trentino di Bento Gonçalves, contemplado com o edital 05/2014 e após 5 anos de espera, iniciou em outubro de 2019 os trabalhos para implemento das oficinas conforme o Plano de Trabalho proposto. O projeto atende uma antiga reivindicação do Vale dos Vinhedos no resgate e preservação da cultura dos imigrantes italianos. O trabalho desenvolvido propicia que os valores, saberes e fazeres da comunidade do Vale dos Vinhedos sejam passados para a atual e as novas gerações, preservando e disseminando informações ligadas a identidade da comunidade.

O Ponto de Cultura conta com apoio da Associação dos Produtores de Vinhos Finos do Vale dos Vinhedos – Aprovale.

SOBRE
O que:
Oficinas do Ponto de Cultura Vale dos Vinhedos
Modalidades: “Histórias & Saberes”, “Gastronomia Típica I” e “Jogo da Mora I”
Período de realização: um encontro por semana para cada oficina, realizados de forma online em agosto de 2020
Valor: gratuito
Inscrição: https://www.passeiosnovale.com.br/ponto-de-cultura-vale-dos-vinhedos
Para outras informações: WhatsApp (54) 99142.7711/ E-mail: circolotrentinobento@gmail.com – com Sandro Giordani

Comitê do Turismo e Associações de 43 municípios se unem pedindo mudanças imediatas no enfrentamento da pandemia

Presidente da AMESNE, Prefeito José Carlos Breda e Secretária de Turismo Patrícia Gabriel recebem em Cotiporã o novo Modelo de Distanciamento Controlado proposto pelo Comitê da Retomada.

AMESNE e AMSERRA se reuniram nesta quinta-feira com núcleo do Comitê da Retomada do Turismo RS e aprovaram a proposição de um novo Modelo de Distanciamento Social por unanimidade

SERRA GAÚCHA RS, 24.07.20
A fala contundente do Prefeito de Cambará do Sul deu o tom da reunião entre munícipios da Serra Gaúcha e representantes do Comitê de Retomada Turismo RS, realizada ontem da única forma que a pandemia de Covid19 permite – em uma sala virtual. “Estamos no pico do inverno, período em que, todos os anos, as UTIs permanecem lotadas pelas doenças respiratórias. Critérios baseados em disponibilidade de leitos precisam levar isto em conta, não podem mais ser os mesmos de 4 meses atrás. Precisamos urgentemente aperfeiçoar o Modelo de Distanciamento Controlado, agregando o conhecimento e a experiência de setores importantes da sociedade, como o empresariado e as entidades”, declarou o prefeito Schamberlaen José Silvestre, que também preside a AMSERRA (Associação de Municípios da Serra).

Beatris Isoppo Trindade Secretaria de Turismo. Schamberlaen Jose Silvestre prefeito de Cambará do Sul e Kelly Castan da Fonseca presidente da Aeturcs Associação de Empreendedores Turísticos de Cambará do Sul.

Pleitear junto ao Governo do Rio Grande do Sul mais autonomia também é a meta da AMESNE (Associação dos Municípios da Encosta Superior do Nordeste), presidida pelo Prefeito de Cotiporã, José Carlos Breda. “Para que possamos adequar os protocolos de distanciamento social à realidade específica de cada município é preciso que o Governo Estadual nos libere para agir. Não é possível sermos ameaçados com liminares e ações civis públicas por estarmos cumprindo o dever para o qual fomos eleitos, que é justamente gerir nossos municípios”.

Breda acrescentou que praticamente todos os prefeitos da Serra Gaúcha estão alinhados em favor da retomada das atividades econômicas de forma segura e responsável, em especial no setor mais afetado pelo crise – o turismo.

Prefeito da cidade de Canela, Constantino Orsolin pontuou a situação em que seus pares se sentem nesta crise. “De mãos atadas, estamos reféns das decisões estaduais. A autonomia será muito bem-vinda, pois já postulávamos, desde o início da pandemia, participar das decisões no combate ao COVID19. Cito os parques naturais como exemplos de impedimento para abertura cujo caráter parece injustificado, por serem ao ar livre e disporem de fiscalização e boas condições de distanciamento controlado. Uma vez retomado o poder de gestão, este modelo do Comitê servirá de base não apenas para Serra, mas para todo o RS. Baseados nele, criaremos todas as condições favoráveis para que esta crise seja vencida”.

Embasamento técnico para a retomada
A percepção geral de necessidade de atualização do modelo vigente ficou evidente no depoimento do Prefeito de Gramado, Fedoca Bertolucci. “Cada município tem suas peculiaridades e precisamos de mais subsídios e estudos técnicos para fazer as adequações de forma correta. Os estabelecimentos só podem ficar abertos se todos os protocolos forem respeitados. Adotar os estudos do Comitê para traçar estas estratégias é louvável”, avalia Fedoca.

Convidado pelo Comitê e pelas Associações presentes, o Presidente da Assembleia Legislativa do RS, Deputado Ernani Polo, avaliou que o pleito dos prefeitos vem ao encontro das expectativas da população, inclusive na capital. “esta revisão de protocolos deve ser o próximo passo na gestão da crise gerada pela pandemia em todos os aspectos da economia, mas em especial no setor do turismo. Farei o que for necessário para levar este pleito ao Governo do Estado”.

Dentre as entidades que integram o Comitê de Retomada Tursimo RS está o SindTur, presidido por Mauro Salles, que fez questão de enfatizar o suporte que todos os membros do Comitê prestarão às prefeituras que buscarem subsídios para a retomada do turismo. “Prestaremos completo apoio para que prefeitos não precisem assumir sozinhos as difíceis decisões deste momento”, declarou.

A reunião durou mais de duas horas e foi encerrada no espírito de união que vem caracterizando o movimento liderado pelo Comitê. “Este é o maior movimento do turismo na história gaúcha. Surgiu a partir de uma iniciativa da Serra, mas vem sendo encampado por todas as demais regiões turísticas. Trata-se de um trabalho muito competente, sério e
responsável”, registrou Luiz Fernando Moraes, que já foi Secretário da SMtur Porto Alegre por 9 anos.

Thomas Fontana, C.E.O. do G30, grupo de empresários dedicados ao desenvolvimento do turismo no Rio Grande do Sul, encerrou a reunião reforçando a necessidade de união de esforços. “Nós precisamos dos prefeitos engajados para salvar o que ainda é possível no setor. São centenas de empresas e milhares de empregos perdidos diariamente, uma crise econômica que só aumenta a gravidade da calamidade gerada pela pandemia. Ainda há tempo para reverter esta situação se trabalharmos com responsabilidade dobrada, portanto nossa estratégia será contatar todas prefeituras que compõem os destinos turísticos do estado para disponibilizar este mesmo suporte no processo retomada”.

Também participaram da reunião com o Comitê de Retomada Turismo RS:

  • Secretaria de Desenvolvimento Econômico de São Francisco de Paula
  • Secretária de Turismo, Cultura e Desporto de São Francisco de Paula
  • Secretário de Desenvolvimento Econômico São Francisco de Paula
  • Secretaria da Saúde de Carlos Barbosa
  • Secretaria de Desenvolvimento Turístico, Indústria e Comércio de Carlos Barbosa
  • Secretaria da Saúde de Nova Petrópolis
  • Secretaria de Turismo de Nova Petrópolis
  • Secretaria de Turismo de Bento Gonçalves
  • Secretaria de Turismo, Cultura e Esporte de Guaporé
  • Complexo Cultural e Turístico Maesa de Caxias do Sul
  • Secretaria de Turismo de Caxias do Sul
  • Secretaria de Turismo e Cultura de Veranópolis
  • Secretaria de Turismo de Cambará do Sul
  • Secretaria de Turismo e Cultura de Cotiporã
  • AETURCS – Associação de Empreendedores Turistico de Cambará do Sul

Para maiores informações:
Thomas Fontana
G30 Serra Gaúcha
WhatsApp: (51) 99315.3008
thomas.fontana@g30serragaucha.com

Bento Gonçalves aceita desafio da gestão da crise com apoio do Comitê da Retomada do Turismo RS

Comitê da Retomada Turismo RS entrega proposição de aprimoramento do Modelo de Distanciamento Controlado ao Prefeito Guilherme Pasin em Bento Gonçalves, documento que embasará a nova gestão de bandeiras no município ( esq p/dir: Márcia Ferronatto – SEGH, Guilherme Pasin – PMBG e Gabrielle Signor – BCB).

BENTO GONÇALVES RS, 23.07.20
Nesta quinta-feira o Comitê da Retomada Turismo RS – uma ampla frente formada por 368 empresas, 83 entidades, 41 municípios e conselhos, além de centenas de profissionais do setor do turismo – entregou às 11 horas ao Prefeito Guilherme Pasin, de Bento Gonçalves, uma nova proposta de Modelo de Distanciamento Controlado, baseada na retomada gradual e segura das atividades turísticas.

Em caráter propositivo, o documento equaliza as restrições previstas em cada bandeira face o momento atual. “O fluxo turístico está retornando e não adianta mais simplesmente fechar as portas. Precisamos de normas de controle e prevenção eficientes, divulgadas massivamente, que tornem viável a retomada responsável do turismo. Este é o caminho para superar a grave crise que assola um dos mais procurados destinos turísticos do Brasil, o Rio Grande do Sul”, afirma Thomas Fontana, C.E.O. do G30, grupo de empresários e entidades gaúchas que lideram um amplo movimento estadual pelo “turismo seguro”.

Embora o cenário atual continue devastador para a economia e em especial para o turismo, no Rio Grande do Sul as lideranças do setor não se contrapõem ao Modelo de Distanciamento Controlado adotado pelo governo estadual no início da pandemia, em março deste ano. “Pelo contrário, nosso estado foi exemplar em rapidamente estabelecer políticas de controle e prevenção da pandemia. Mas a expectativa de que a quarentena se estendesse por 40 ou 60 dias não se confirmou e agora, passados quatro meses de enfrentamento, é chegado o momento de aprender a conviver com a Covid-19, retomando as atividades econômicas de forma segura e gradual”, explana Luiz Fernando Moraes, uma das cabeças pensantes do G30.

Ex-Secretário da SMtur Porto Alegre, o jornalista e publicitário já presidiu a TVE e a Anseditur (Associação Nacional dos Dirigentes e Secretários de Turismo). “Trago para o Comitê da retomada a experiência da gestão pública no turismo. Precisamos traçar estratégias tangíveis em parceria com as diferentes esferas de poder envolvidas nesta pandemia.” Para Giovana
Ulian, diretora executiva da Biossplena, empresa de Inteligência Urbana, um dos fatores a favor do trabalho do Comitê é a capacidade de conciliar as diferentes demandas do setor. “Não é hora de posições extremadas – precisamos dialogar para encontrar um caminho objetivo, que garanta segurança e evite o agravamento da crise”, avalia.

União de esforços
“Em março fomos pegos de surpresa pelas medidas restritivas no combate à Pandemia. Foi assustador, mas todos esperávamos para o segundo semestre a retomada do fluxo normal do turismo interno. Passados quatro meses com caixa praticamente zerado, já sabemos que a recuperação do setor levará de 18 a 24 meses. Neste cenário, mais da metade das empresas do setor do Turismo no RS fecharão definitivamente as portas.” A declaração é de Márcia Ferronatto, Diretora Executiva do SEGH, associação dos empresários de Gastronomia e Hotelaria da Região Uva e Vinho. Mais de 80% são pequenas e médias empresas, que não conseguem acesso às linhas de crédito anunciadas para o setor. “Não há solução mágica para estas empresas, que estão impedidas de trabalhar enquanto acumulam dívidas impagáveis”, sentencia Márcia.

Pesquisas apontam o Rio Grande do Sul como o 4º estado do país com mais perdas no setor de turismo. São prejuízos na ordem de R$ 90 bilhões e quase 1 milhão de postos de trabalho extintos nestes quatro meses de ‘abre e fecha”. “Nosso desafio no combate à pandemia é a busca pelo equilíbrio entre a saúde dos cidadãos e a saúde da economia ”, declara o prefeito Guilherme Pasin, de Bento Gonçalves, durante o ato formal de entrega do Modelo de Distanciamento Controlado proposto pelo Comitê da Retomada Turismo RS. “Liberar em excesso é uma atitude tão danosa quanto o abre e fecha. Para promovermos mudanças no modelo atual precisaremos de muito diálogo e embasamento. Por isso o apoio do empresariado e das entidades, através de um Comitê altamente representativo, é decisivo para empreendermos uma retomada segura e responsável”, declara Pasin.

Impacto negativo no turismo gera desemprego em massa
A recuperação econômica do Rio Grande do Sul, após o Covid19, poderá levar de dois a três anos. Estima-se que até 40% do setor de gastronomia estadual fechará suas portas para sempre até o final da crise. Hoje menos de 20% do setor turístico está operando no RS. “A abertura, mesmo que gradual, poderá evitar mais fechamentos. Dos 100 mil trabalhadores da gastronomia no estado, 30 mil já perderam seus empregos em micro e pequenas empresas, que constituem a base do setor turístico”, pondera o integrante do Comitê Felipe Peccin, ex-secretário de Turismo de Gramado e empresário do ramo da hotelaria.

Maiores áreas sociais nos hotéis, aeroportos mais amplos, mais espaçamento nos restaurantes e testes de saúde para viajar entre estados são algumas das novas regras no mercado de turismo. Mas os maiores desafios estão no ramo de eventos, ainda sem previsão para reiniciar atividades. Para a presidente do Bento Convention Bureau, Gabrielle Signor Rodrigues, sem uma perspectiva de abertura definitiva, é impossível planejar a retomada da realização de eventos públicos ou privados. “Mesmo considerando apenas eventos menores e a médio
prazo, precisamos iniciar a estruturação com muitos meses de antecedência. Esta incerteza do “abre-fecha” afasta todos os investimentos neste setor e torna inviável a sobrevivência dos profissionais de eventos e de todos os empregos indiretos que este segmento do turismo gera”, diz Gabrielle.

Serviços de Turismo e Gastronomia empregam o representativo contingente de 10% da população ativa no país. Substituir o “fique em casa” pelo “viaje seguro” envolve severas mudanças operacionais nas empresas. Maior controle nas filas e aglomerações, mais espaço nos veículos, espaçamento obrigatório nos estabelecimentos e rastreamento de público nos eventos farão parte das fiscalizações municipais. Para estas adequações o Comitê conta com apoio da expert Amanda Paim, Coordenadora Estadual da Economia Criativa e Turismo do
SEBRAE RS. “Esta nova realidade de convivência com o COVID-19 é um desafio descomunal para quem está há meses impedido de trabalhar, lutando para manter sua equipe, negociando com fornecedores, honrando impostos e ainda buscando motivação extra para acolher com esmero. Precisamos retomar de forma planejada as atividades turísticas, capacitando gestores e empresas para garantir segurança ao nosso turista”, explica Amanda, que trabalha em ativa
parceria com empresariado gaúcho.

Destino Seguro no Brasil
“Estamos trabalhando dia e noite para que o Rio Grande do Sul seja reconhecido como um dos destinos mais seguros do Brasil. Parametrizamos os critérios de abertura e fluxo nas bandeiras propostas pelo estado, adotamos selos de certificação e protocolos da OMS para garantir uma verdadeira zona de segurança em nossos destinos. Adequamos os índices do Distanciamento
Controlado à uma realidade que já se apresenta, pois as pessoas estão voltando às ruas, o fluxo de visitantes está aumentando, seja por necessidade ou seja por já pertencerem ao grupo imune”, relata a empresária e hoteleira Deborah VillasBôas Dadalt, representante do enoturismo no Comitê da Retomada. Para ela, a parceria público-privada é a chave para a superação desta crise. “Se lidarmos com esta realidade de forma colaborativa, com governo e sociedade unidos nas mesmas bases, assumindo diretrizes confiáveis, estruturaremos uma retomada econômica segura e viável. Somos um destino turístico amado e respeitado em todo o Brasil e devemos dar o exemplo.”

Confira a seguir as entidades, empresas, municípios e conselhos que assinam como apoiadores do Comitê da Retomada Tusrismo RS

Entidades Integrantes do Comitê da Retomada Turismo RS:

Municípios e Conselhos Apoiadores do Comitê da Retomada Turismo RS:

Empresas Apoiadoras do Comitê da Retomada Turismo RS:

Fonte: Comitê da Retomada Turismo RS
Contact person: Thomas Fontana – G30 Serra Gaúcha
WhatsApp: (51) 99315.3008
thomas.fontana@g30serragaucha.com